Biblioteca Municipal de Esposende encheu na apresentação do livro de José Milhazes

A Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, de Esposende, esteve repleta de público, ontem, na sessão de apresentação do novo livro do historiador e jornalista José Milhazes, intitulado “A mais breve História da Rússia”. Cerca de duas centenas pessoas não quiseram perder a oportunidade de ouvir o jornalista, muito por força das atuais circunstâncias do conflito entre a Ucrânia e a Rússia, país onde José Milhazes estudou e trabalhou, durante muitos anos.

 

O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, marcou presença na sessão tendo começado por dar as boas-vindas ao autor nesta sua deslocação a Esposende fazendo depois uma breve apresentação biográfica do seu trabalho. O autarca moderou as intervenções, prestando, também, testemunho pessoal de quando esteve na Polónia e na Letónia, entre 2014 e 2015, e percebeu as relações ainda tensas entre os povos destes territórios, nomeadamente o receio de conflitos, no contexto da história da Europa central no século XX.

 
 

José Milhazes apresentou o seu livro “A mais breve História da Rússia”, uma viagem fascinante que atravessa séculos e séculos da história, cultura e civilização russas, que começa nos povos eslavos vários séculos antes de Cristo e acaba na atualidade, com Putin. Nesta edição que inclui dezenas de fotografias e mapas – além de uma cronologia e de bibliografia aconselhada para quem quiser saber mais – dá-se a conhecer a geografia, os povos, as grandes figuras, efemérides e feitos desta grande nação em permanente transformação.

O autor referiu que, dada a relevância do tema da atualidade, a guerra na Ucrânia, mais do que apresentar o livro, pretendia estar disponível para dar resposta a todas as questões que o público quisesse colocar. Neste contexto, foram, de facto, várias as questões apresentadas, desde a posição da União Europeia em todo este processo, nomeadamente também nos conflitos anteriores na Georgia e Crimeia; o papel da igreja ortodoxa; as questões económicas e suas repercussões; as perspetivas futuras no desenrolar deste conflito; alguns aspetos relacionados com a ligação da União Soviética-Rússia ao partido comunista português, entre outros.

 
 

O público questionou também o autor sobre a motivação para a escrita do livro e um pouco da sua história de vida, em concreto se repetiria a ida para a União Soviética estudar aos 19 anos, à qual que explicou que sim, pois foi a oportunidade que lhe surgiu para poder seguir os estudos e porque aí constituiu a sua família.

A iniciar a sua intervenção, José Milhazes confidenciou que a sua primeira paixão (platónica) foi uma jovem de Esposende, partilha que motivou alguns momentos de humor no decorrer da sessão, que ficará, certamente, na memória de quem teve oportunidade de assistir.

 

A encerrar a sessão, José Milhazes esteve disponível para a habitual sessão de dedicatórias nos livros.

Comentários

comentários

 

Você pode gostar...