Braga melhora acessibilidade e segurança rodoviária com projeto “Eu já passo aqui”

Já arrancaram as intervenções na rua António de Mariz, Rua da Fábrica, rua Dr. António Alves Palha e Avenida Dr. António Palha, obras que se realizam no âmbito do projeto “Eu Já Passo Aqui” que visa a melhoria da acessibilidade e a segurança rodoviária.

 

As obras preveem a sobrelevação do cruzamento das referidas artérias onde serão colocados atravessamentos cicláveis e proteções à via ciclável através de pequenos separadores. Por outro lado, a área a intervir engloba dois acessos perpendiculares, a sul do referido cruzamento, que dão a acesso à Praceta Rocha Peixoto. Atualmente, estes arruamentos não possuem qualquer tipo de atravessamento formalizado, representando verdadeiras barreiras arquitetónicas.

 
 

O projeto vai, por isso, resolver esta questão e criar, também aqui, um percurso acessível contínuo, ligando-o à rede geral pedonal da Cidade. A obra inclui a intervenção nos passeios, que neste local se encontram degradados e com rampas muito deficitárias, e vai permitir dar continuidade à obra decorrente na Avenida D. João II (Variante da Encosta), fazendo a ligação entre a Rua António de Mariz e a Rua Pascoal Fernandes.

Na Avenida António Palha estão a ser criadas ciclovias unidirecionais ao longo de toda a avenida e em torno da rotunda, seguindo as normas de desenho que garantem o conforto e a segurança destes utilizadores. Serão também criadas duas novas travessias pedonais ao longo deste Avenida que, por serem sobrelevadas e em conjunto com a redução da largura das vias de trânsito, vão contribuir para a diminuição das velocidades praticadas.

 
 

Por fim, a intervenção estabelece a ligação com o recém-intervencionado quarteirão residencial situado entre a Makro e a Circular Urbana, cujos objetivos estiveram, naturalmente, em total consonância com o atual projeto. A partir desse quarteirão existe ainda conexão à ecovia do Rio Este e ao Complexo Desportivo da Rodovia. Assim, a atuação sobre a Avenida António Palha revela-se, efetivamente, extremamente positiva na construção de uma malha ciclável coesa e na qualificação de um espaço pedonal.

A par da aposta na mobilidade segura e inclusiva, o projeto possui também uma vertente ambiental com o reordenamento dos espaços verdes, nomeadamente com a retirada de 9 árvores e a plantação 15 novas árvores. De referir que algumas das árvores ali existentes detêm raízes muito extensas, pelo que o corte dessas raízes só por si coloca-as em risco de queda. Nestes casos, a sua manutenção poderia constituir problemas de segurança. Por outro lado, a extensão das raízes é tal, que não seria possível qualquer intervenção nas imediações sem afetar as mesmas.

 

Recorde-se que o projeto “Eu Já passo aqui”, nas ruas em causa, prevê a intervenção em 10 atravessamentos e a criação de 12 passadeiras sobrelevadas e inteligentes com o objetivo de aumentar a acessibilidade e a segurança rodoviária.

Este projeto surgiu de uma proposta submetida ao Orçamento Participativo denominada ‘Eu Não Passo Aqui!’, que sugeria a eliminação de barreiras arquitetónicas para assegurar um espaço pedonal mais livre, confortável e inclusivo. Com este projeto, o Município de Braga responde a esta necessidade, atuando extensivamente nos percursos pedonais para corresponder aos preceitos essenciais à mobilidade inclusiva e, assim, obter uma malha pedonal de excelência.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...