Domingos Bragança vê na nova concessão do transporte público um processo dinâmico

Ao final da manhã de ontem, 13 de janeiro, Domingos Bragança, na habitual conferência de imprensa do final da Reunião do Executivo Municipal, fez uma primeira análise à nova concessão do transporte público rodoviário de passageiros, passados que estão apenas 13 dias do início da sua atividade. Uma nova concessão que foi entregue à empresa vimaranense GuimaBus e que será o mais rapidamente possível complementada com a interoperabilidade resultante do concurso promovido pela CIM do Ave, no âmbito da sua responsabilidade como autoridade intermunicipal de transportes.

 
guimabus

“A concessão tem muitos autocarros, linhas e frequências, e estamos convictos de que será um sucesso, para bem de Guimarães. Também sabemos que há ajustes que serão necessários, nomeadamente os que decorrerem da análise mais fina da relação entre a oferta e a procura, como é exemplo o período em que existe menos utilização e que é compreendido entre as 10h30 e as 16h30”, disse o Presidente da Câmara. A esse propósito, Domingos Bragança anunciou que vai avaliar a possibilidade de abrir a gratuitidade nesse período, bem como ao fim de semana, podendo, inclusive, ser estudada a possibilidade de um cartão jovem de acesso gratuito até à idade dos 18 ou 21 anos. “Temos que analisar os impactos financeiros diretos e indiretos destas opções, que levarão obrigatoriamente ao aumento do subsídio anual à operadora, que atualmente é de 1,5 milhões de euros por ano.

 
 

Domingos Bragança explicou que o objetivo da entrada em funcionamento da nova concessão é promover uma maior utilização do transporte público de passageiros, prosseguindo a meta da descarbonização, mas lembrou também que a concessão tem ainda poucos dias. “Sabemos que há correções que necessitamos de implementar, mas estamos a pagar um preço por termos andado mais rapidamente na implementação do serviço”, frisou. O edil referia-se ao facto de todo o planeamento do serviço, realizado pelos técnicos da autarquia e pela equipa liderada pelo Professor Álvaro Costa, um especialista de crédito reconhecido, ter sido efetuada tendo em conta a premissa da interoperabilidade com a concessão lançada pela CIM do Ave, e que garante a satisfação das necessidades de transporte utilizando o mesmo passe.

A finalizar, Domingos Bragança realçou os méritos da concessão, “para que não sejam esquecidos”: “somos a terceira concessão a nível nacional no terreno e a maior frota de autocarros elétricos atualmente a operar no país”. Uma concessão que, segundo o Presidente da Câmara, quer prestar um serviço com conforto e segurança e que, ainda este ano, deverá vir a contar com a entrada em funcionamento do transporte flexível, a pedido, que será operado pela empresa municipal Vitrus.

 
 

Comentários

comentários

Você pode gostar...