Hinoportuna, a tuna académica do IPVC conquista três prémios no FITU Bracara Avgvsta

Não foi um, mas três os prémios que a Hinoportuna – Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) conquistou no XXXI FITU Bracara Avgvsta – Festival Internacional de Tunas Universitárias, certame organizado pela Tuna Universitária do Minho (TUM). Jacinto Coelho, presidente da Hinoportuna, mostrou-se “feliz” com os prémios, que são “uma espécie de recompensa pelos dois últimos anos sem atuações”. A Hinoportuna está já a preparar a 20.ª edição do Lethes – Festival Internacional de Tunas Cidade de Viana do Castelo, que decorre a 3 e 4 de junho.

 
ipvc

O festival, que se realizou no Theatro Circo, em Braga, assume-se como “um dos mais importantes e reputados festivais” de tunas do país e contou com a presença da Estudantina Universitária de Coimbra, da Tuna de Medicina do Porto, da Tuna Universitária de Aveiro, da Tuna de la Universidad Nacional Federico Villarreal (Perú) e da Tuna de la Universidad de León (Espanha). No final, a Hinoportuna – Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) arrecadou o Prémio Banessa (Tuna + Tuna) assim como, o Prémio Melhor Original (com “Entre o samba e o fado”) e o Prémio Melhor Tuna do XXXI FITU.

 
 

“Num fim de semana de fortes emoções em Bracara Augusta, subimos sexta feira passada ao palco do Theatro Circo. Damos os parabéns, desde já, à TUM pelo fantástico festival, que invadiu a cidade de Braga num convívio entre todas as tunas”, começa por referir o presidente da tuna, Jacinto Coelho, destacando que regressaram a Viana do Castelo com “uma mala cheia de boas recordações”.

A Hinoportuna inscreve assim o nome “no quadro de honra deste fantástico festival, um verdadeiro sonho tornado real”, confidencia o presidente, admitindo que foi com “surpresa” que receberam o Prémio Melhor Tuna do XXXI FITU. “Quando fazemos a mala e vamos para um festival é sempre com o objetivo de ganhar, mas não estávamos à espera deste prémio. Em palco demos o melhor, como sempre, e felizmente correu muito bem. Acima de tudo divertimo-nos imenso e o prémio foi a cereja no topo do bolo e uma espécie de recompensa pelos dois últimos anos sem atuações”, revela.

 
 

Depois de participar no FESTUNA em Coimbra, onde não houve competição, a Hinoportuna retoma “em grande” os festivais. “Tivemos muito trabalho e dedicação nos ensaios e o balanço deste festival é bastante positivo”, confirma Jacinto Coelho.

Comentários

comentários

 

Você pode gostar...