Município de Barcelos atribui medalha de mérito desportivo a Joaquim Rodrigues

O piloto de motos Joaquim Rodrigues foi agraciado hoje pelo Município de Barcelos com a medalha de Mérito Desportivo. Em cerimónia realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e na presença de praticamente toda a vereação, Joaquim Rodrigues agradeceu a distinção e as palavras do presidente Mário Constantino, que sublinhou o magnífico percurso de vida e o excelente currículo desportivo do piloto, salientando que é um “dos maiores embaixadores do concelho de Barcelos pelo país e pelo mundo”.

 
barcelos

Antes já Joaquim Rodrigues tinha referido que passou “por momentos muito difíceis e complicados” (recorde-se que perdeu o seu cunhado e companheiro de provas Paulo Gonçalves, há cerca de dois anos), mas que tinha sido o desporto que o “tirou do buraco em que viveu, até voltar à competição”.

 
 


Recorde-se que o piloto barcelense concluiu recentemente a 44.ª edição do Rali Dakar, na Arábia Saudita, sagrando-se o melhor português em prova, após ter terminado na 11.ª posição da geral. Joaquim Rodrigues foi ainda o primeiro piloto do mundo a levar a equipa indiana Hero à vitória numa etapa, tendo ainda alcançado o terceiro lugar noutra classificativa.


Currículo:
O barcelense Joaquim Rodrigues constitui uma das lendas do motociclismo português, sendo atualmente Piloto oficial da Hero. A carreira deste piloto de Barcelos começou na década de noventa, tendo a partir daí, somado diversos títulos.
Em 1999, já era conhecido em França pelas suas participações no campeonato de Supercross daquele país, contudo o SX foi a modalidade onde melhor se afirmou.
Em 2000, estreou-se no mítico Supercross de Paris Bercy, tendo conseguido subir ao pódio numa das Finais da classe 125cc.
Um ano após, surgiu o primeiro contrato internacional, com a Honda, tendo participado no campeonato do mundo de Motocross, na categoria 250cc.
No ano seguinte, ascendeu à classe 500cc noutra equipa de fábrica, desta vez a italiana VOR.
No ano 2003, Joaquim Rodrigues viria a cumprir um sonho e foi competir para os EUA, como piloto oficial da Red Bull KTM, tendo-se estreado na categoria principal do AMA Supercross.
No ano seguinte,  viria a desenvolver a primeira KTM 450SX-F no campeonato AMA Motocross, tendo terminando na 11.ª posição.
Da KTM mudou-se para a Honda para competir na classe 250F na equipa Factory Connection (hoje conhecida como Geico Honda).
Foi o primeiro português a subir ao pódio de uma prova do AMA Supercross.
Em 2008, regressou à Europa para fazer algumas rondas do Mundial de MX2 e, em 2009, conseguiu o apoio da Aprilia para disputar várias etapas do Mundial de MX3.
Seguidamente, voltou ao campeonato nacional de Supercross para conquistar três títulos consecutivos, antes de se dedicar ao Enduro.
Na modalidade de Enduro, viria a conseguir mais um êxito para o seu palmarés e ganharia experiência que lhe seria útil na fase seguinte da sua carreira, os Rally Raids.
Em 2018, foi contratado pela Hero Motosports para se estrear no Dakar.
Em 2019, terminou muito perto do Top 10. Meses mais tarde, em setembro desse ano, viria a conquistar a sua primeira vitória em Rally Raids ao triunfar no Panafrica Rally em Marrocos.
No ano de 2020, voltou a participar no Rali Dakar.
Em 2021,  participou no rali Rota da Seda, na Rússia, tendo em novembro terminado no pódio do Campeonato do Mundo de TT no Abu Dhabi Desert Challenge.

 
 


No passado dia 14 do corrente mês, concluiu a 44.ª edição do Rali Dakar, na Arábia Saudita, sagrando-se o melhor português em prova, após ter terminado na 11.ª posição da geral e o primeiro piloto a levar a equipa indiana Hero à vitória numa etapa. Nesta edição do Rali Dakar, venceu a terceira etapa e fez terceiro lugar noutra etapa.

Comentários

comentários

 

Você pode gostar...