Póvoa de Lanhoso e Turismo Porto e Norte preparam plano estratégico

Perceber de que forma o Município Povoense pode contribuir para a região e de que forma é que a Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal pode ajudar a potenciar as marcas específicas da Póvoa de Lanhoso, como a Maria da Fonte, e outras.

 

Este foi o principal objetivo de uma reunião entre o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Frederico Castro, e o Presidente da Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins. As duas entidades vão preparar um plano estratégico para o Turismo.

 
 

Para tal, pretende-se reforçar a cooperação estratégica, visando projetar o concelho Povoense, de uma forma integrada, dentro e fora das fronteiras nacionais. “Temos ideias, a Turismo Porto e Norte tem experiência. Queremos juntar as sinergias de modo a que, daqui a quatro anos, a marca turística Póvoa de Lanhoso seja muito mais forte e mais sólida do que hoje”, explica o autarca Povoense, Frederico Castro.

O ponto de partida é, portanto, a construção de um plano estratégico. “Em conjunto, vamos definir as áreas em que queremos intervir, com quem o queremos fazer e como é que o vamos fazer nos próximos anos”, revela o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, que parte para este desfio com otimismo redobrado. “O trabalho da Turismo Porto e Norte oferece-nos garantias e percebemos a importância fundamental que teve na região e nos outros Municípios à nossa volta. No passado, provavelmente, esse trabalho estratégico não foi tão articulado e apurado. Vamos corrigir isso”, assegura.

 
 

Para o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins, o potencial que existe é grande e o sector tem sido, em territórios de baixa densidade como é o concelho Povoense, um fator de coesão territorial e de coesão social. “Conseguimos, através do Turismo, atrair jovens empreendedores como outros setores não conseguem. E a Póvoa de Lanhoso tem muitos ativos para poder segurar aqui empresas ligadas ao Turismo”, destaca. “Há uma série de produtos turísticos que já estão no terreno e que a Póvoa de Lanhoso pode integrar, como a Rota dos Vinhos e do Enoturismo, como o turismo de natureza, como o turismo religioso e vamos ver até que ponto também como o turismo industrial. A filigrana também tem elevado potencial”, refere, revelando outros desafios já lançados à Póvoa de Lanhoso e que passam pela participação na BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa e nas feiras de promoção do destino Porto e Norte quer em Espanha quer no resto do Mundo.

De referir que, nesta reunião, que decorreu no dia 15 de novembro, nos Paços do Concelho da Póvoa de Lanhoso, estiveram ainda representantes das duas organizações de Turismo da região: a Entidade Regional do Turismo do Porto e Norte, que tem a missão de estruturar o produto na região e de o promover no país e em Espanha, e a agência de promoção externa da região, que tem como missão a promoção destes produtos turísticos no resto do Mundo.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...