Presidente do Município de Fafe conduz primeira reunião da Subcomissão Permanente de Incêndios Rurais

Antero Barbosa, presidente da Câmara Municipal de Fafe, presidiu ao primeiro de vários encontros técnicos que se realizarão quinzenalmente até outubro, ou sempre que o nível do Estado de Alerta Especial seja elevado para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.

 

O briefing da Subcomissão Permanente de Incêndios Rurais (SPIR) realizou-se esta quarta-feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal, sob orientação do Presidente da Câmara Municipal, Antero Barbosa, e contou com a presença do Vereador do Ambiente, Raul Cunha, Gilberto Gonçalves, Coordenador da Proteção Civil de Fafe, e outras entidades que constituem este grupo de trabalho.

 
 

A SPIR foi criada por deliberação da Comissão Municipal de Proteção Civil (CMPC) de Fafe, em sede de reunião ordinária realizada em 7 de janeiro de 2019, reconhecendo a manifestação do risco de incêndio florestal no território municipal, considerando o histórico de frequência e magnitude, e tendo como objetivo o acompanhamento contínuo dessa situação e das ações de proteção civil.

Esta foi a primeira de várias reuniões de informação tática que ocorrerão quinzenalmente até ao mês outubro, ou extraordinariamente sempre que elevado o nível do Estado de Alerta Especial (EAE) para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR). O propósito destes encontros é o de promover uma efetiva coordenação institucional, concretizando uma monitorização permanente da situação e antecipando, face à avaliação do risco, medidas operacionais adequadas.

 
 

Neste primeiro briefing, foram mencionados os objetivos e constituição da SPIR, bem como tópicos como sensibilização e informação pública, formação, instrução e treino, apoio à decisão, desafios/objetivos, propostas/intervenções, entre outros assuntos. No âmbito destas reuniões regulares efetua-se a análise das ocorrências existentes ao longo do ano comparativamente aos anos anteriores, avalia-se a situação meteorológica e risco de incêndios para os dias seguintes, analisam-se comunicados técnicos operacionais municipais e avisos emitidos à população e procede-se ao agendamento das reuniões quinzenais.

Comentários

comentários

 

Você pode gostar...