Proficiência e Literacia em inglês em todo o mundo

O ensino do inglês, em cursos presenciais ou em cursos online, está massificado e ramificado em todas as sociedades e países.

 

Numa era de globalização e integração sociocultural, a aprendizagem de um idioma é fundamental para o desenvolvimento de competências linguísticas e cognitivas, para enriquecer o currículo e impulsionar a carreira e ainda, para facilitar as relações sociais e culturais entre  os povos.

 
 

Ao decidir aprender uma segunda língua, o aluno deve ter em conta fatores tão importantes como as competências do professor, os conteúdos programáticos e as ferramentas de aprendizagem, o nível de especialização pretendido, a carga horária e o preço.

Quanto mais cedo melhor?

Conselhos e Organizações especializadas defendem a aprendizagem de uma segunda (ou terceira) língua, em crianças com idade cada vez mais precoce. Ainda que não esteja cientificamente comprovado que a aprendizagem de uma língua em idade precoce seja um fator decisivo para atingir um determinado nível de proficiência.

 
 

Mais do que a idade, o aprendizado de um novo idioma está relacionado com o tempo despendido na aprendizagem, a exposição à língua (através de aulas, filmes, músicas, viagens ou livros), a aptidão natural, a abordagem pedagógica eficiente e a atitude e dedicação do aluno.

Assim, seja qual for a idade do aluno, o aprendizado de uma segunda língua, em particular do inglês, é uma mais-valia a vários níveis.  Para um escolha de curso bem sucedida, o aluno deverá avaliar alguns aspetos importantes:

 
  • Programa e Material do Curso / Nível de Proficiência
  • Duração / Carga Horária
  • Competência e Aptidão do Professor
  • Dedicação e comprometimento do aluno
  • Orçamento disponível

Porque é o inglês tão importante?

Num mundo globalizado a adoção de uma língua comum permite e promove a conexão, a interação, facilitando a compreensão e acelerando a inovação. Estima-se que dos 2,5 bilhões de falantes de inglês, cerca de 400 milhões são nativos, o que dá bem conta da quantidade de falantes de inglês como segunda língua.

É certo que mercados como a América Latina ou o Médio Oriente continuam a realizar suas operações negociais em espanhol e árabe, mas o inglês é a língua usada por mais organismos, entidades e empresas para promoverem suas relações internacionais.

 

Falar inglês dá às pessoas acesso a uma gama mais ampla de informações, uma rede mais diversificada e mais oportunidades de trabalho do que nunca.

O ranking “EF English Proficiency Index”

Com base nos resultados de testes de 2 milhões de pessoas, com idade média de 26 anos, em 112 países e regiões, o ranking “EF English Proficiency Index” – edição 2021, apresenta a classificação mundial de países e regiões com melhor proficiência em inglês.

O Estudo apresenta alguns dados interessantes:

 
  • A proficiência em inglês dos adultos continua a crescer lentamente;
  • O número de homens a aprender inglês superou o número de mulheres, pela primeira vez, desde que este estudo é apresentado (2014)
  • O número de aluno com mais de 30 anos cresceu exponencialmente
  • O inglês aumenta a competitividade económica
  • O inglês pode aumentar a empregabilidade
  • Os centros urbanos têm mais falantes de inglês
  • A América Latina continua a aumentar sua proficiência em inglês

Em termos continentais, a proficiência em inglês apresenta-se da seguinte forma:

  1. Europa – com uma proficiência muito elevada;
  2. Ásia – com uma proficiência elevada;
  3. África e América Latina – com uma proficiência baixa
  4. Médio Oriente – com uma proficiência muito baixa

O estudo apresenta ainda correlação do inglês com a economia, o capital humano, a inovação, o trabalho, a sociedade e o futuro.

Comentários

comentários

Você pode gostar...