Alemanha critica Comissão Europeia por considerar energia nuclear como sustentável

O Governo alemão criticou hoje a decisão da Comissão Europeia de propor que os investimentos em energia nuclear e gás sejam considerados sustentáveis no processo de transição ecológica.

 
nuclear

“Parece-me um erro absoluto que a Comissão Europeia pretenda incluir a energia nuclear no grupo das atividades económicas sustentáveis da União Europeia (UE)”, disse a ministra do Ambiente alemã, Steffi Lemke, em declarações ao grupo de comunicação social Funke.

 
 

Segundo a ministra, dos Verdes alemães (força que integra a coligação governamental tripartida), “uma forma de energia que, por um lado, pode levar a catástrofes ambientais devastadoras – em caso de acidente grave num reator – e, por outro, deixa grandes quantidades de resíduos perigosos altamente radioativos, não pode ser sustentável”.

“Vamos agora estudar os critérios do projeto que a Comissão Europeia nos apresentou na noite de sexta-feira e vamos entrar em acordo sobre a questão dentro do Governo”, disse a ministra, afirmando ser “extremamente problemático” que a Comissão Europeia “queira dispensar uma consulta pública numa questão tão delicada”

 
 

A organização ambiental e de proteção ao consumidor Deutsche Umwelthilfe (DUH) criticou “fortemente” a posição do executivo comunitário, referindo que conferir o estatuto de atividade sustentável a projetos de energia nuclear e gás natural “permite sob um manto verde investimentos prejudiciais ao meio ambiente”.

Numa declaração, a DUH exigiu que os Estados-membros e o Parlamento Europeu tomem uma posição clara contra esta proposta da Comissão Europeia.

 

“Classificar a energia nuclear e o gás natural como sustentáveis tira a este grupo qualquer credibilidade”, disse o diretor-executivo da DUH, Sascha Müller-Kraenner, acrescentando que, com a sua eventual aprovação, o chanceler Olaf Scholz “coloca em risco a reputação do Governo alemão em matéria de política climática”.

Comentários

comentários

 

Você pode gostar...