Psicólogos/as da CIM do Ave reuniram na Póvoa de Lanhoso para analisar práticas e desafios

“Esta vai ser uma geração marcada por um contexto diferente, porque a pandemia já está a marcar o desenvolvimento das crianças e as suas aprendizagens. Temos de perspetivar um futuro, a curto prazo, com estas contingências e com soluções mais equilibradas”. Estas considerações são da Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Fátima Moreira, na abertura da Reunião dos Psicólogos da Rede da CIM do Ave (Zona Norte), que decorreu no Centro Interpretativo Maria da Fonte.

 
cim do ave

A autarca, que acumula o Pelouro da Educação, elogiou o trabalho desenvolvido pelos/as psicólogos/as escolares e reconheceu que, neste contexto tão particular, têm grandes desafios pela frente. Razão pela qual, mais do que nunca, é necessária a partilha de experiências e o trabalho em rede. “Há um trabalho enorme a fazer, louvo o vosso trabalho, sei que é difícil. Felicito também a CIM do Ave e a rede dos psicólogos da zona norte por estar a enfatizar a importância do trabalho de rede, porque só assim é que conseguimos melhorar as nossas práticas. Tanto mais agora num contexto em que precisamos de estar coesos, porque os desafios do futuro são grandes, tanto ao nível da educação como ao nível do emprego, do trabalho. Só desta forma é que vamos conseguir ter uma oportunidade de desenvolvimento em que todos possamos participar e encontrar respostas adequadas para os  jovens”, considerou. 

 
 

Realizada a 27 de janeiro, esta foi a primeira reunião de coordenação do ano letivo, no sentido do apoio e acompanhamento da implementação do programa de Intervenção Vocacional. Visou ainda a partilha de experiências sobre projetos implementados pelos psicólogos em contexto escolar, como os “Clubes Comunitários”.

“Conheço de perto o trabalho que desenvolvem, sei que não é fácil, sei que têm metas que muitas vezes são muito difíceis de alcançar. Provavelmente, nestes contextos novos de pandemia e de alternância entre o presencial e o à distância, estas metas ficam ainda mais dificultadas e exigem um esforço acrescido. Nesse sentido, cada vez se justifica mais este trabalho em rede, de modo a concertar estratégias, perceber como é que cada um está a trabalhar no seu território e rentabilizar as melhores práticas”, salientou Fátima Moreira, que aludiu a um documento divulgado pela Comissão Nacional de Educação mais direcionado ao ensino profissional, mas com enfoque na orientação vocacional ou intervenção de carreiras. Em seu entender, “desafia a pensar em novos modelos de trabalho”.

 
 

A Vereadora Povoense deixou duas ideias principais para consideração: a necessidade de começar a trabalhar intencionalmente cada vez mais cedo, em idades mais precoces, as questões da orientação vocacional e de carreira; e de envolver ainda mais os/as alunos/as neste trabalho, de modo a que sejam parte integrante destas dinâmicas. Para esta responsável do Município da Póvoa de Lanhoso, quer os/as psicólogos/as escolares, em particular, quer a comunidade educativa, em geral, “têm enormes desafios pela frente”.

Participaram nesta reunião, de forma presencial ou à distância, psicólogos/as da Póvoa de Lanhoso, Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Vieira do Minho e Fafe.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...