Município da Póvoa de Lanhoso assinala Dia Nacional do Cuidador Informal

A Vice-Presidente e Vereadora da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Fátima Moreira, abriu a sessão “Juntos a Cuidar”, dedicada aos cuidadores informais, que se realizou hoje, no Centro Interpretativo Maria da Fonte, para assinalar o Dia Nacional do Cuidador.

 

Nas palavras da autarca povoense “é da maior importância valorizar todos aqueles que cuidam dos outros, muitas vezes a precisar que também cuidem de si”. Referiu que “o GACI (Gabinete de Apoio ao Cuidador Informal) em boa hora foi criado porque trouxe ao debate e a público a importância de pensarmos em todas estas pessoas que durante 7 dias por semana, 24 horas por dia, cuidam de alguém, muitas vezes sem qualquer retorno financeiro, sem qualquer acompanhamento, sem apoios sociais. Foi também fruto da luta encetada por estas pessoas que o Estatuto de Cuidador Informal acabou por ser aprovado e alargado a todo o país em janeiro deste ano, o que nos deixa satisfeitos, pois era uma luta antiga.”

 
 

No entanto, “segundo um estudo recente cujos resultados foram divulgados aquando do Dia do Cuidador Informal, temos em Portugal cerca de 11 mil cuidadores informais, mas só estamos a conseguir atribuir apoios, à luz daquilo que o estatuto permite, a um número inferior a 3 mil, o quer dizer que ainda há aqui um grande trabalho a ser feito e um percurso muito longo para trilhar.”

Fátima Moreira termina sublinhando a ideia de que “assinalar este dia continua a ser muito premente e necessário, não só para valorizar aqueles e aquelas que são cuidadores/as informais, mas também para lhes dar visibilidade. Importa neste sentido valorizar também todo o trabalho que é feito pelas próprias instituições, desde a Segurança Social, ao Centro de Saúde e outros, reforçando a importância do trabalho em rede.”

 
 

No final deste momento de abertura, houve ainda tempo para agradecer sentidamente a todas as cuidadoras presentes e às representantes da rede social, deixando uma mensagem de apoio e dedicação a todos os Cuidadores Informais.

A sessão continuou depois com algumas atividades para promover a partilha de experiências e de informações entre as cuidadoras e as técnicas presentes.

 

A representante da Segurança Social, Dra. Rosa Oliveira fez uma abordagem ao Estatuto do Cuidador Informal, que estabelece os termos e as condições do reconhecimento de cuidador/a informal e a representante da Equipa dos Cuidados Continuados Integrados do Centro de Saúde da Unidade de Cuidados na Comunidade, Enf. Daniela Carvalho, abordou as respostas já existentes e no terreno de apoio à pessoa cuidada e ao cuidador.

O Município dispõe de um Gabinete de Apoio ao Cuidador Informal através do qual dinamiza um Grupo de Ajuda Mútua e disponibiliza atendimento e acompanhamento individuais. Esta resposta funciona na Casa da Botica e está disponível para quem precisar de apoio a este nível.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...